Search
Close this search box.

Ação policial conjunta prende oito integrantes de organização criminosa ligada a homicídios no Paraná e Santa Catarina

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) prestou apoio à Polícia Civil de Santa Catarina (PCSC) durante operação deflagrada na manhã desta quarta-feira, 10, contra organização criminosa ligada a homicídios ocorridos no Paraná e Santa Catarina. Ao todo, oito pessoas foram presas e diversas armas de fogo apreendidas.  

A ação aconteceu simultaneamente em Curitiba, Londrina, Maringá, Colombo, Araucária, Piraquara e Pinhais, no Paraná, no município de Barra Velha, em Santa Catarina, e no Paraguai.  

Foram cumpridos sete mandados de prisão preventiva, e 29 mandados de busca e apreensão, além disso foram realizadas duas prisões em flagrante por posse ilegal de arma de fogo. As equipes policiais apreenderam diversas armas de fogo, celulares e objetos de interesse para a investigação. 

Ao todo, sete homens e uma mulher foram encaminhados ao sistema penitenciário.  

Investigação

As investigações da PCSC foram iniciadas após um duplo homicídio ocorrido em março de 2023, no município de Imbituba, em Santa Catarina. As vítimas, que eram irmãos, foram mortas por vários disparos de arma de fogo na frente das esposas e filhos.  

No decorrer das diligências, os policiais civis identificaram nove suspeitos envolvidos no crime, dentre eles dois mandantes, cinco executores e dois auxiliares. Foi apurado que os indivíduos se deslocaram do Paraná para Imbituba utilizando pelo menos dois veículos. 

Ainda, no curso das investigações, com apoio da PCPR, foi constatada a participação do grupo criminoso em um duplo homicídio ocorrido em Londrina, em março de 2023, e um homicídio em Maringá, ocorrido em maio do mesmo ano.  

Além disso, restou demonstrado que a organização criminosa é especializada no crime de tráfico de drogas e possui diversas armas de grosso calibre, incluindo fuzis, para prática dos crimes.  

De acordo com a delegada da PCPR Camila Cecconelo, o trabalho integrado entre as polícias civis é de grande relevância e resulta em diligências mais efetivas.  

“Cada vez mais é perceptível que as polícias de estados diversos investigam alvos comuns, alvos que cometem crimes em ambos os estados ou que acabam se refugiando em outro estado. Então o trabalho integrado permite a troca de informações, resolução dos crimes e culmina na prisão de integrantes de organizações criminosas”, afirma a delegada.

Operação Conexão

Participaram da operação a Polícia Civil de Santa Catarina, por intermédio da Delegacia de Polícia de Imbituba, com o auxílio da Delegacia de Polícia de Barra Velha; a Polícia Civil do Paraná, por intermédio do DENARC (Divisão Estadual de Narcóticos) de Londrina e DHPP (Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa) de Curitiba, com o auxílio do DENARC de Curitiba, DENARC de Maringá, COPE (Centro de Operações Policiais Especiais) de Curitiba, NOC/DENARC (Núcleo de Operações com Cães) de Londrina, NOC/DENARC de Maringá, 9ª SDP (Subdivisão Policial), 10ª SDP, 17ª SDP e 22ª SDP; e a Secretaria Nacional Antidrogas – Senad (do Paraguai), deflagraram a denominada “Operação Conexão”, a qual teve como objetivo dar cumprimento a 38 ordens judiciais, sendo 29 mandados de busca e apreensão e nove mandados de prisão preventiva, em investigação coordenada pela Delegacia de Polícia de Imbituba que elucidou a prática de um grave duplo homicídio, no bairro Praia do Rosa, município de Imbituba, em março de 2023

Entenda o caso

No dia 06 de março de 2023, durante a madrugada, as polícias Civil e Militar de Imbituba foram acionadas para atendimento de um duplo homicídio ocorrido no bairro Ibiraquera (Praia do Rosa), em Imbituba.

No local, foi constatado que as vítimas (que são irmãos) foram alvejadas por dezenas de disparos de arma de fogo, incluindo disparos com fuzis e pistolas, sendo que o crime ocorreu na frente das respectivas esposas e filhos pequenos.

Logo no início das investigações, o setor de investigação da Delegacia de Polícia de Imbituba, com o auxílio da Agência de Inteligência da Polícia Militar de Imbituba, conseguiram identificar que os autores se deslocaram do Paraná para a cidade de Imbituba se utilizando de pelo menos dois veículos. Além disso, os policiais identificaram os hotéis/pousadas que os investigados permaneceram hospedados em Imbituba e Itapema antes e depois do crime.

A partir da identificação dos veículos, a Delegacia de Polícia de Imbituba passou a monitorar os autores e, após troca de informações com a Polícia Rodoviária Federal, foi possível a abordagem de um dos veículos utilizados, sendo apreendidos, na ocasião, aproximadamente 225 quilos de maconha, resultando na prisão em flagrante de 2(dois) suspeitos.

Durante as investigações, a Delegacia de Polícia de Imbituba contou com o apoio irrestrito da Polícia Civil do Paraná, especialmente do DENARC de Londrina, da DHPP de Curitiba e, ainda, do GAECO (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) de Londrina.

Ainda, no curso das investigações, foi identificado que a mesma organização criminosa responsável pelo duplo homicídio praticado em Imbituba teria sido responsável por vários outros assassinatos ocorridos recentemente no Paraná.

A título de exemplo, pode ser citado outro duplo homicídio ocorrido em Londrina em março de 2023. Além disso, destaca-se outro homicídio ocorrido em Maringá em maio de 2023, o qual resultou na prisão em flagrante de três membros da organização criminosa e na apreensão de várias armas de fogo, incluindo um fuzil.

A partir de uma série de ações investigativas, a Polícia Civil de Imbituba identificou que o duplo homicídio praticado na Praia do Rosa contou com ao menos dois mandantes, cinco executores diretos e ao menos dois auxiliares que participaram da premeditação e do recolhimento/transporte das armas após o crime.

Crimes planejados com alto grau de precisão

Aliás, restou apurado que os autores realizaram prévio levantamento da residência das vítimas por intermédio de drones. Além disso, restou demonstrado que se trata de organização criminosa especializada no crime de tráfico de drogas e que possui diversas armas de grosso calibre, incluindo fuzis, para a realização dos crimes.

Diante das evidências coletadas, a Polícia Civil de Imbituba representou ao Poder Judiciário de Imbituba pela decretação de nove prisões preventivas e 29 mandados de busca e apreensão, o que foi deferido pelo Poder Judiciário após manifestação favorável do Ministério Público.

Nesta quarta-feira, 10, as Polícias Civil de Santa Catarina e do Paraná deflagraram uma mega operação, contando com mais de 140 policiais civis catarinenses e paranaenses, para dar cumprimento aos mandados de busca e de prisão. Foram cumpridos mandados nas cidades catarinense de Barra Velha e paranaenses de Londrina, Curitiba, Maringá, Colombo, Araucária, Piraquara e Pinhais e, ainda, no Paraguai.

Nesse sentido, através do intercâmbio de informações entre a Polícia Civil de Santa Catarina e a Polícia Federal, realizou-se o ágil compartilhamento com a SENAD, do Paraguai, que permitiu a consequente ação também naquele país, decorrente da Operação Conexão, com o objetivo de dar cumprimento a um dos decretos prisionais.

Integração entre forças policiais

A operação foi batizada de “Operação Conexão” em razão da conexão existente entre os homicídios praticados em Imbituba e no Paraná, assim como pela integração das polícias de Santa Catarina e do Paraná ao longo das investigações e, na reta final, também por parte da SENAD, no Paraguai.

Até o momento, os policiais lograram êxito no cumprimento dos 29 mandados de busca e apreensão e sete mandados de prisão, sendo apreendidas diversas armas de fogo, celulares e diversos objetos de interesse para a investigação. Ressalta-se que o líder da organização criminosa e principal mandante do duplo homicídio foi localizado e capturado pela Polícia Civil em uma residência situada em Londrina, sendo que inclusive estava na posse de uma arma de uso restrito.

De acordo com o Delegado de Polícia de Imbituba, a investigação foi extremamente complexa e somente foi possível a identificação dos autores, com a consequente delimitação das responsabilidades, em razão do empenho dos policiais civis de Imbituba e da integração com as demais forças policiais, incluindo polícia militar, PRF e, sobretudo, a Polícia Civil do Paraná. Ressaltou que foram colhidos elementos de convicção contundentes a apontar a autoria para ao menos nove suspeitos, os quais serão indiciados por homicídio triplamente qualificado contra as duas vítimas, organização criminosa, posse ilegal de armas de fogo de uso restrito, entre outros crimes.

No mais, constatou-se que os elementos colhidos durante a operação ainda serão analisados, de modo que não se descarta o indiciamento de outros investigados. Por fim, mencionou que, havendo autorização do Poder Judiciário, as provas produzidas serão compartilhadas com a Polícia Civil do Paraná, o que permitirá a elucidação de vários homicídios ocorridos naquele Estado e praticados pela mesma organização criminosa.

WhatsApp Image 2024-05-29 at 11.33
Operação Aharadak mira grupo criminoso suspeito por furtos e roubos em município gaúcho devastado pelas enchentes
WhatsApp Image 2024-05-29 at 11.33
Mulher é atingida na cabeça por disparo de arma de fogo pelo companheiro em Araranguá
BeFunky-collage (12)
Jovem é hospitalizada após colisão entre automóvel e motoneta na BR-101 em Içara